sábado, 12 de dezembro de 2009

Economista da FGV contesta números de vídeo do PT

O economista Marcelo Neri, chefe do Centro de Políticas Sociais da Fundação Getulio Vargas (FGV), constestou em entrevista ao jornal O Globo deste sábado(12) o número de empregos com carteira assinada criados desde 2003 que foi apresentado no programa partidário do PT na última quinta-feira(10). "Agora, no programa, cita todas as conquistas advindas da estabilização econômica, como a criação de 12 milhões de empregos com carteira assinada desde 2003.São dados turbinados. O número da FGV é 8,8 milhões de empregos no período, que já é muito bom. Não sei de onde são os 12 milhões. Isso seria Alice no País das Maravilhas", contesta Neri.

Para o economista, o mais importante em todo o processo de crescimento econômico do Brasil é a maturidade do povo, e não Lula ou FHC."Daqui a alguns anos, os livros de história vão dizer que Lula foi o pai dos pobres e Fernando Henrique, o avô. Essa sequência é fundamental. A continuidade foi o grande segredo. O grande personagem desse momento é o brasileiro, não Lula ou FHC. O brasileiro realizou um potencial que estava meio adormecido nas duas décadas anteriores. FHC plantou muita coisa, e Lula colheu. E Lula plantou outro tipo de cultura de resultado mais imediato, como o Bolsa Família, que, na verdade, é a continuidade do Bolsa Escola do FHC", termina Neri.

2 comentários:

Lóis disse...

Bolsa familia, que iniciou foram os prefeitos do PT, copiado pelo FHV com seus vales "gás" etc..

José disse...

Artigo do Blog do senador José Agripino Maia, líder do DEM, desmascara ponto por ponto as mentiras do programa partidário do PT exibido quinta

Confira: http://migre.me/ebat